quarta-feira, 25 de abril de 2012

Tino Flores - Organizado o povo é invencível

"Explorados nas fábricas e nos campos, carne para canhão na guerra colonial, emigrantes a fugir à fome, presos, torturados e massacrados pelos carrascos da burguesia, esta é a nossa vida. Sózinhos, isolados somos uma presa fácil nas mãos dos capitalistas. Quando nos unimos, quando nos organizamos, obrigamos os patrões e os oficiais e a polícia a recuar, fazemos greves e ganhamos, desertamos e roubamos armas, atacamos a guarda e fazemos com que ela fuja. Organizados e com armas conquistaremos o poder e exterminaremos essa corja de bandidos e parasitas que nos sugam o sangue e que nos lançam na miséria. Lutemos pela nossa unidade, organizemos reuniões nas fábricas, nos campos, nos quartéis, nos bairros onde vivemos! Discutamos os nossos problemas e organizemo-nos para a resposta vitoriosa contra os nossos exploradores! A união de todos os explorados criará um mundo novo onde terminará a exploração do homem pelo homem! A Guerra do povo é invencível. Em frente pela revolução popular!"

As palavras que acima escrevemos não estão aqui escritas por mero acaso. Na verdade estão igualmente estampadas na contracapa do disco que escolhemos para apresentar hoje no dia 25 de Abril. Trata-se de um disco que não sendo propriamente de um intérprete totalmente desconhecido, como é o caso de Tino Flores, merece honras de destaque pela sua raridade uma vez que os discos desse cantautor (principalmente os gravados no pré- 25 de Abril) são considerados dos mais raros de encontrar no mercado discográfico e, portanto, verdadeiras relíquias.

 À semelhança de outros cantores de intervenção exilados em França, foi também através da canção com mensagem de protesto que a voz Tino Flores chegou ao conhecimento de (alguns) portugueses. No entanto, para os que se interessam por este género de canção, é unânime a constatação de que Tino Flores é um caso totalmente à parte, diferenciando-se dos demais em muitos aspectos. Em primeiro lugar, os seus discos são genuinamente canções de protesto ao serviço de ideais e alvos bem definidos, como se de folk music se tratasse, tendo em conta o singelo acompanhamento de guitarra que servia de base às suas canções. Depois, porque as incendiárias palavras de Tino Flores não são preenchidas com quaisquer eufemismos ou floreados, sendo antes uma escrita directa contra a guerra e o fascismo, quase que rude e sem papas na língua, apelando directamente à consciência daqueles que considerava serem os explorados da sociedade, atingindo o seu auge com a canção "Isto só vai à porrada !", gravado já depois do 25 de Abril. Por outro lado, ao contrário dos outros cantores de protesto, que viam os seus discos ser editados sob a chancela de algumas editoras (ainda que lançados quase que clandestinamente) as edições de discos de Tino Flores tinham um carácter muito mais restrito, sendo edições próprias de autor, com capas trabalhadas de forma amadora e sugestivamente apelativas à luta e à revolta popular.
 Ao contrário de José Afonso ou Sérgio Godinho, por exemplo, que se tornou num músico de carreira com o decorrer dos anos, Tino Flores nunca seguiu (nem mesmo depois de ter regressado a Portugal após o 25 de Abril de 1974) qualquer carreira de músico profissional, pese embora tenha gravado alguns discos após a revolução. Tino Flores era, sobretudo, um músico de combate e de verdadeira resistência, conforme veio a demonstrar pelo seu contributo numa interessante parte da história do canto popular, como foi o Grupo de Acção Cultural, onde veio a ter um papel de verdadeiro destaque ao lado de José Mário Branco, Afonso Dias, José Júlio, entre outros. Para ilustrarmos um pouco desses cantos de revolta, deixamos um excerto de algumas das canções que compõem o E.P. do disco que hoje apresentamos, gravadas em 1972, algures em França.


22 comentários:

Edward Soja disse...

Excelente artigo, amigo!

Finalmente podemos ouvir algo antiguinho do Tino.

Para partilhar.

Obrigado por isto!

Abraço

bissaide disse...

João Pedro: as notas da contracapa estão assinadas?

bairro do vinil disse...

JC, as notas da contracapa não estão assinadas. Obrigado!

O Arquivista disse...

Óptimo artigo este. Já se vão espalhando pela net mais algumas coisas do Tino que realmente são difíceis de aparecer. Este, o "Viva a Revolução" e "Isto só vai à porrada" tenho, mas o "Povo em Armas esmagará a burguesia", nunca o vi, assim como os discos dos "Camaradas". Fica a pergunta: são apenas três os Ep's do Tino antes do 25 de Abril, certo?
Abraço

bissaide disse...

O "Isto Só Vai à Porrada" está para dwnld na net? Nunca o ouvi - vendeu-se uma vez no Miau, mas ficou caro...

São três EP's antes do 25 de Abril, sim. Os discos dos Camaradas o que têm?

Abraço,
JCC

O Arquivista disse...

Pois, penso que esse para download não haverá, eu possuo um exemplar do disco. Quanto aos Camaradas não conheço, nunca ouvi e precisava de algumas informações sobre quem eram, discos editados, anos, etc., mas penso que terei de perguntar directamente ao Tino, se é que ele se lembra..

bairro do vinil disse...

Boa tarde a todos. Relativamente ao Tibo Flores, não existe também um LP de 1968 ( ou 1969 ?) ?

Caro Arquivista: relativamente aos Camaradas: A sua curiosidade será satisfeita daqui a menos de duas semanas. Tinha precisamente em mente publicar a seguir ao Tino Flores um texto sobre eles e um excerto de uma das canções. No entanto, nada sei deles sei também, tendo apenas um E.P, que deve ser o primeiro de todos. É igualmente um edição de autor.Suponho que de uma ou outra forma o Tino Flores poderá estar ligado ao projecto " Camaradas" pois o label do disco dos Camaradas é em tudo igual ao do Tino. Se não esteve ligado directamente, deve saber alguma coisa. Já dei voltas e voltas e penso que o disco que tenho, pelo contéudo das letras parece ter sido editado já depois do 25 de Abril. Mas substistem dúvidas... Caso tenham informações por favor mandem-me por email para ajudar a fazer o texto :)
JP

bissaide disse...

Se por acaso tiver gravado ou vier a gravar o LP do Tino Flores, gostava muito de poder ouvir essas músicas. Dos Camaradas de facto não sei muito mais (e gostava de saber), apenas que o músico Adão Gonçalves integrou o grupo em 1973. Tem o seu mail na net?

bissaide disse...

João Pedro: em LP, só conheço ao Tino Flores o "Isto Só Vai à Porrada", de 1975. Tens um EP dos Camaradas? E tem referência de catálogo? Abraço

bairro do vinil disse...

Corrijo: O Ep que tenho dos Camaradas deve ser o segundo! A referência de catálogo é OCS 2.

Do Tino Flores tenho ouvido o boato da existência de dois LP's:

tino flores viva a revolução
tino flores o povo em armas esmagará a burguesia

Um de 1969 e outro de 1973, mas não é informação oficial, nem tenho referências a n.ºs de catálogo.

bissaide disse...

João Pedro: os dois títulos que referes são de EP's e não de LP's. O primeiro disco é precisamente o EP "Viva a Revolução", e é aliás o único disco de Tino Flores que tenho. Quanto aos Camaradas, quando puderes diz-me algo mais sobre esse disco (que canções tem, de quem são, etc) - muito possivelmente, é anterior a 1974...

O Arquivista disse...

Acabo de falar com um amigo que tem um disco (penso que EP) dos Camaradas mas sem capa. Porém, o disco é quase igual a este do post como se vê no vídeo e penso que há igualmente letras da autoria do Tino. Penso que ele integrava mesmo o conjunto, mas enquanto esteve em França, ou seja, antes do 25 de abril.
Quanto a mais LPs do Tino, desconheço, penso que apenas existe o já referido embora com dúvidas sobre a data de edição (75? - tenho ideia de ter visto noutro sítio ser de 77..)
Caro JCC, esteja à vontade para me contactar por email: patchanking@gmail.com. Teria todo o gosto em poder falar consigo sobre o meu trabalho também.
Abraços
Hugo Castro

bairro do vinil disse...

Pois, bem me parecia que havia confusão. Caro Hugo Castro, se me permitir também entrarei em contacto consigo via email.

Relativamente ao disco dos Camaradas, peço-vos apenas mais uma semana e pouco de espera, para satisfazer a vossa curiosidade em relação à capa. O meu disco não tem contracapa, só capa e não há qualquer informação sobre a composição do grupo, sendo as letras da autoria do grupo. As canções são estas:
Quem trabalha é que deve mandar/ Democracia/ Lá vai o comboio/ Ora vai, vai, vai

Foram 2,80 € bem gastos !

vinilsuporter disse...

Tenhdo 2 cds do tino flores, um granado de vinil, outro da net: Isto só vai á porrada e mil fogueiras
.
jose mario

vinilsuporter disse...

Do "isto só vai à porrada" tenho 12 canções gravadas em cd, directamente de vinil, sendo que a primeira está incompleta (só tem 80 segundos) mas não sei o nome delas. Alguém me ajuda ?
.
Do "mil fogueiras", sei que tem estas canções (a acreditar no site de onde saquei na net): as marcas do tempo/ouçam senhores/solidário aqui estou/coração vermelho/mau ambiente/encontrei um operário/mil fogueiras/tou bem/pelos outros e por nós/gente certinha/deus diabo e violão/dar a cara.
.
Gostava de obter as que me faltam deste cantor, alguém pode dar uma ajuda ?
.
jose mario joebarbosa@sapo.pt

O Arquivista disse...

Caro José Mário, como vai? Como já lhe tinha dito, tenho esse vinil (isto só vai à porrada) e terei todo o prazer em emprestar para o gravar, o que servirá certamente para outros leitores do blogue que o procuram (infelizmente, os meus meios para gravação do disco são muito limitados, já experimentei e ficou uma "borrada"). Aqui fica o alinhamento:

Face A:
1 - Unir o Povo
2 - Barraco
3 - O Nosso Amor
4 - Lenço de Seda
5 - Eu tenho uma bandeira na mão
6 - Fogo

Face B:
1 - Aos Camaradas Assassinados
2 - Cantemos alegremente
3 - Rouxinol
4- O meu amigo está preso
5 - Grandes cães
6 - Viva a liberdade

Será que nos podemos encontrar um dia destes? Gostaria também de falar consigo para ter informação sobre alguns discos.

Abraço

Hugo

vinilsuporter disse...

Caro Hugo:
Muito obrigado pela colaboração, sucede é que eu já tenho esse "isto so vai à porrada" gravado directamente de vinil para cd. Tenho também o "mil fogueiras" e o ep "viva a revolução". Apenas me faltam os outros 2 eps e o "camaradas". Se calhar haverá até outros eps do tino que nem sejam conhecidos, eu sei lá.
um abraço.
.
jose mario

vinilsuporter disse...

Caro Hugo:
Eu agora vivo em Armamar, longe de tudo. Quando quiser encontrar-se comigo eu tenho disponibilidade, é uma questão de agendarmos um dia em que eu tenha de me deslocar ao porto. Alguma coisa que precise de música já sabe, mande-me um email que se eu tiver gravado lhe a cederei.
.
jose mario
joebarbosa@sapo.pt

vinilsuporter disse...

gente amiga disponiblizou-me uma gravação com 4 temas do ep "bate certo" do grupo de canto popular de almada o que me encheu naturalmente de alegria. alguém conhecia este ep ? trazia como bonus 2 canções do fausto: africa / ó pastor que choras. horrivel este fausto. joebarbosa@sapo.pt

bissaide disse...

Sim, esse EP do Grupo de Canto Popular de Almada é de 1975. Quanto ao Fausto do início, gosto muito - mas ele próprio nem por isso.

vvv disse...

O isto só vai à porrada
http://tflores.com.sapo.pt/IstoSoVaiaPorrada.mp3

Victor Nogueira disse...

há uns anos encontrei vários vídeos de tino flores na net, nas hoje apenas encontrei este

https://www.youtube.com/watch?v=rz0IXeyzL6E